Logo-ABRAPEC-18-anos_edited.png

Março Lilás: ABRAPEC alerta para prevenção do câncer de colo de útero.


No mês de combate ao câncer de colo do útero, a ABRAPEC, reforça a necessidade de que as mulheres estejam atentas à prevenção do terceiro câncer mais incidente na população feminina, atrás apenas do câncer de mama e do colorretal, conforme apontam dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA/2020). O câncer de colo do útero é causado pela replicação desordenada das células que fazem o seu revestimento e pode comprometer até mesmo órgãos distantes. São diversas as causas do câncer do colo do útero, como as externas, a exemplo do estilo de vida levado pela mulher, e também as internas, como hormônios e mutações genéticas. Detecção de lesões pré-cancerígenas Uma maneira comprovada para prevenir o câncer do colo do útero é a realização de exames, como o exame Papanicolaou e o exame de detecção do papilomavírus humano (HPV), para diagnosticar a presença de lesões pré-cancerígenas antes que elas se transformem em tumores malignos. Uma lesão pré-cancerígenas encontrada pode ser tratada, evitando que se torne um câncer. O exame de Papanicolau é um procedimento realizado para coletar células do colo do útero que serão analisadas sob um microscópio para determinar a presença de câncer e pré-câncer. Essas células também podem ser usadas para verificar a existência do HPV. O exame de Papanicolaou pode ser feito durante um exame pélvico, mas nem todos os exames pélvicos incluem o exame de Papanicolaou. O teste de HPV pode ser feito na mesma amostra das células coletadas do Papanicolaou. Como evitar lesões pré-cancerígenas *Tomar vacina contra o HPV. Existem vacinas disponíveis que podem proteger os jovens contra determinadas infecções pelo HPV. Essas vacinas protegem contra a infecção com os subtipos de HPV mais comumente ligados ao câncer, bem como alguns tipos que podem causar verrugas anal e genital. Essas vacinas agem apenas para prevenir a infecção pelo HPV, elas não tratam uma infecção já existente. Por essa razão, para ser mais eficaz, as vacinas contra o HPV devem ser administradas antes que uma pessoa seja exposta ao HPV (atividade sexual). Essas vacinas ajudam a prevenir pré-câncer e o câncer de colo do útero. Algumas vacinas contra o HPV também estão aprovadas para a prevenção de outros tipos de câncer e verrugas anal e genital. Importante: nenhuma vacina oferece proteção completa contra todos os tipos de HPV causadores de câncer. É importante fazer o rastreamento para o câncer de colo de útero regularmente. *Evitar a exposição ao HPV. O HPV é transmitido de uma pessoa para outra durante o contato pele a pele com uma área infectada do corpo. Embora o HPV possa se espalhar durante o contato pele a pele - incluindo sexo vaginal, anal e oral - o sexo não precisa ocorrer para a infecção se disseminar. Isso significa que o vírus pode se espalhar sem sexo. Além disso, a infecção pelo HPV parece ser capaz de se espalhar de uma parte do corpo para outra. Isso significa que uma infecção pode começar no colo do útero e depois se espalhar para a vagina e a vulva. Limitar o número de parceiros sexuais e evitar sexo com pessoas que tiveram muitos parceiros sexuais pode diminuir o risco de exposição ao HPV. Importante: uma pessoa pode ter HPV há anos e não apresentar sintomas. Portanto, é possível ter vírus e transmiti-lo sem saber. *Usar preservativo. Os preservativos fornecem um tipo de proteção contra o HPV, mas não previnem completamente a infecção. A razão pela qual os preservativos não protegem completamente é porque não cobrem todas as áreas possíveis do corpo infectadas pelo HPV, como a pele da área genital ou anal. Ainda assim, os preservativos fornecem alguma proteção contra o HPV e também protegem contra o HIV e algumas outras infecções sexualmente transmissíveis. *Não fumar. Não fumar é outra maneira importante de reduzir o risco de pré-câncer de colo do útero e câncer. ​​​​​​​

4 visualizações0 comentário